Por José Carlos Campos Velho:

Esta proposta de conceito de Slow Medicine foi elaborada pelo Dr. Dennis McCullough. Em decorrência da formação e da prática de atendimento geriátrico de longos anos do dr. Dennis, ela contempla mais especificamente a idéia da Slow Medicine voltada à atenção aos idosos. Não por acaso, o site atual do Dr. McCullough é Slow Medicine for Elders.

Slow Medicine é:

– uma filosofia

– uma prática

– uma metáfora

Filosofia:

-entendemos que o envelhecimento é um elemento importante na saúde e bem estar e é o pano de fundo em relação ao qual decisões importantes (particularmente relativas à cuidados médicos) devem ser feitas.

Prática clínica:

-propomos a desacelaração do processo de tomada de decisões, através de uma reflexão cuidadosa que possibilite melhor entendimento e discernimento das situações que afligem os idosos, com o objetivo de promover uma melhor qualidade de cuidados. Conhecer os detalhes e circunstâncias de vida de um indivíduo permite adequar o cuidado a ele, sua família e grupos de suporte. Entendemos necessário ampliar as redes de apoio, fomentar o equilíbrio entre a autonomia do indivíduo e de sua famíla e buscar sempre o melhor cuidado e as decisões adequadas.

Metáfora:

-a abordagem médica dos idosos deve ser reequilibrada, objetivando-se um cuidado personalizado, pragmático e humanístico. A medicina que hoje é oferecida às pessoas – “Fast Medicine” – com alta tecnologia, ênfase na eficiência, rapidez de decisões e protocolos, pode ser deletéria, particularmente para os idosos, ameaçando sua autonomia e independência e colocando-os em situações de completa perda do controle. Reafirmamos que a Slow Medicine busca cuidados de saúde de boa qualidade, essencialmente através de sua filosofia de trabalho e prática clínica.

(Baseado no texto original do Dr. Dennis McCullough: a tradução é livre)

Slow Medicine is:

–a philosophy

–a practice

–a metaphor

Philosophy—based on understanding that Aging is an important element in health and wellness and is the backdrop against which all decisions (particularly medical care decisions) needs to be made.

Practice—Slowing down all decision-making to allow for better understanding, more reflection, and greater discernment promotes better quality care.  Learning more about the details of an older individual’s life and circumstances allow tailoring of care to the individual, family and support group (Circle of Concern).  Creating “bigger tables” for support and balancing individual and family autonomy provides better perspectives for care and decision-making.

Metaphor—Medical care for elders need to be “re-balanced” to provide for personal, hands-on, humanistic care, which has gone missing over the past several decades.  Elders understand that Fast Medicine (high-tech care delivered with an emphasis on efficiency, speed and protocols), while often necessary, can lead elders into circumstances which are both beyond their control and endangering.  Slow Medicine promotes quality of life and care via its essential philosophy and practices.