Entrevista com Prof. Dario Birolini

Era uma manhã fria e ensolarada de sábado,  encontro o Kazusei na frente da casa do Prof. Dario Birolini, no Morumbi, em São Paulo.  Havíamos planejado há algum tempo uma nova forma de divulgação da Slow Medicine em nosso site, através de entrevistas.  Pessoas que, do alto de suas vivências e de sua sabedoria, certamente tem a contribuir na disseminação de informações confiáveis sobre a prática da medicina, pautada pelos princípios que vimos apontando.

Quem melhor que o Dr. Dario Birolini como nosso primeiro entrevistado? Podemos afirmar que ele dispensa apresentações: professor reverenciado por gerações de alunos, médico competente, com uma sólida carreira acadêmica e profissional e, mais do que tudo, um ser humano de envergadura excepcional.  Certamente quando tivermos uma história da Slow Medicine no Brasil, ela vai se confundir com o nome do Dr. Dario. Desde seu esforço para publicação d’ O doente imaginado  em português, do estabelecimento de uma relação frutífera com o dr. Marco Bobbio, que culminou na vinda deste para o Brasil,  a presença do dr. Dario tem sido constante. Colaborador do site Slow Medicine Brasil desde sua publicação, ele é o Profissional Slow por excelência, muito antes desta expressão ter chegado aos seus ouvidos. 

Acomodados em sua biblioteca, cercado por livros, arquivos e memórias, estávamos diante da verdadeira história viva da medicina paulistana. Conversamos por um longo tempo,  explorando sua história e suas ideias. E percebemos que não foi o acaso que trouxe nosso entrevistado a navegar as águas da Slow Medicine, a Medicina sem Pressa: foi a experiência e a convicção de que uma maneira mais humana de cuidar é não só possível como necessária. Com a palavra, Dario Birolini.